CRÍTICA: Homem Aranha de Volta ao Lar

Já vimos o novo filme do cabeça de teia, Homem Aranha De Volta ao Lar, e o que podemos dizer é que “voltar para o lar” fez muito bem a um dos heróis mais queridos do planeta!

De fato, depois de 3 filmes bastante discutíveis (Homem Aranha 3 e O Espetacular Homem Aranha 1 e 2), podemos agora ver Peter Parker receber o devido cuidado no seu desenvolvimento. Graças ao retorno da direção criativa para a Marvel!

Explicando pra quem não está por dentro, os direitos cinematográficos do Homem Aranha originalmente pertencem à Sony. E não à Marvel Studios. O que aconteceu, foi que, após o fracasso dos dois últimos filmes (e amplo sucesso do Universo Cinematográfico da Marvel pela própria Disney), surgiu a oportunidade de um acordo entre as duas companhias de maneira que todos saíssem ganhando com a co-produção dos longas do personagem.

Homem Aranha de volta às origens

Explicações à parte, vamos à crítica do filme: cara, é muito bom! O conceito/título permeia toda a narrativa, podemos acompanhar a construção de um herói que em breve será fundamental no MCU. A sacada de abordar a adolescência do Homem Aranha (interpretado brilhantemente por Tom Holland), tendo como principal cenário o colegial, nos convida a acompanhar o desenvolvimento do jovem/herói em sintonia com todos grandes eventos envolvendo principalmente o primeiro filme dos Vingadores e Capitão América Guerra Civil. Esse é um dos grandes acertos do filme: colocar o jovem Parker na mesma perspectiva dos jovens fãs da franquia. Vale lembrar que ele tinha apenas 10 anos quando ocorreu a batalha de Nova Iorque!

LEIA TAMBÉM:  Quem será o diretor da sequência de Homem Aranha De Volta ao Lar?
Homem Aranha de Volta ao Lar
Imagem: Sony & Marvel Studios

Em paralelo à essa construção, podemos ver o surgimento do vilão Abutre, interpretado por Michael Keaton, cujo a formação envolve os mesmos fatos históricos do herói, porém, com escolhas diferentes do mesmo. Sabidamente, o antagonista escolhido é de segunda linha nos quadrinhos. Nunca representaou um desafio tããão complexo para o Aranha, mas, a escolha foi muito acertada devido à complementariedade de ambos. E, mesmo diante de algumas obviedades do roteiro que podem vir a desagradar alguns, o Abutre consegue gerar empatia. A densidade dos motivos que o levaram à optar pelo caminho da criminalidade são bastante palpáveis.

Homem de Ferro: Trailer X Filme

O elenco como um todo está razoável, sem grandes atuações, mas bastante competente. Vale destacar a presença do amigo nerd do Peter, Ned (hilário), e a Tia May (Marisa Tomei). Mesmo com pouco tempo de tela, ela apresenta uma convincente nova roupagem para a tradicional personagem. Sobre o Homem de Ferro (Robert Downey Jr), sua participação é pontual, sem roubar a cena. Confirmou-se que a utilização exagerada do personagem nos materiais de divulgação do longa não passou de uma jogada de marketing. Para garantir uma maior presença do público nas salas de cinema mesmo.

LEIA TAMBÉM:  Versão 4K do Blu ray de Homem Aranha De Volta ao Lar no formato de máscara!

Tudo são flores?

Nem tudo amigo. O filme peca um pouco nas cenas de ação (algo relativamente frequente em filmes da Marvel). Não porque são ruins, mas porque o acabamento em CGI e a eventual “desconexão” com o ritmo do filme como um todo pode gerar uma certa estranheza. É um filme contido, uma ótima sessão de entretenimento envolvendo um dos personagens mais queridos dos fãs de HQ’s e cinema. As referências apontam bem para o objetivo despretensioso do longa: uma excelente opção para “Sessão da Tarde”. Digo isso, pois as referências estão lá, de “Clube dos Cinco” à “Curtindo a Vida Adoidado”, passando pela trilha sonora com Ramones, podemos nos deliciar com uma aventura de encher os olhos.

De 1 a 5 estrelas, nossa nota para o filme é: 4 estrelas! Trata-se de um ótimo ponta de partida para o reinício do Homem Aranha nos cinema. Agora, acompanhado de diversos heróis clássicos da Marvel.